Language and travelling

I worked from 1972 until now, 2017, teaching Portuguese. I started in Lobito, Angola. The opportunity of travelling to west Africa was open to me if I applied to be a secondary teacher. I  was accepted to teach English and Portuguese.  Did I ever plan to be a teacher? No way. But I loved my experience; the students were wonderful, the city was amazingly beautiful, the people were friendly. I was happy to join my brother Luís who was serving in the military. 

The first photograph you will find in my blog is from Lobito, Angola. I will cherish the images I have from living in the “restinga”, a small paradise of white sand beaches, transparent, calm warm water and natural shade of palm trees and “aracuárias”. I was 23 three years old and until now I never stopped being an educator and caring about teaching Portuguese

Viagem aos 4 anos

De Santa Vitória, a aldeia onde nasci, a Beja, capital do distrito, são vinte quilómetros. Tinha quatro anos, quando fui a Beja “tirar o retrato”, na camioneta da carreira, com meus pais e meus dois irmãos . Nunca me esquecerei desse evento pois o fotógrafo desaparecia por detrás da máquina e eu mexia-me do meu lugar à procura da cara dele. Depois de sair da minha posição uma ou duas vezes, o meu pai disse-me: “Filha, fica quietinha, estamos a tirar um retrato para irmos para um lugar chamado Canadá; há lá ursinhos brancos, vais gostar muito de ver”.

Anos mais tarde, perguntei ao meu pai porque razão nunca tínhamos ido para o Canadá. Meu pai sonhara ter tido a oportunidade de emigrar mas, apesar de se ter candidatado, no início dos anos cinquenta quando esse país abriu as portas aos portugueses, o pedido fora recusado. Como escriturário da Casa do Povo, e barbeiro depois do trabalho, não tinha mãos “calejadas” e o Canadá procurava trabalhadores rurais. Nunca esqueci a tristeza e deceção dele. Passados mais de trinta anos, emigrei para o Canadá com um contrato de professora para a mais prestigiada universidade do país – a Universidade de Toronto. Do meu pai, herdei as mãos finas, o gosto pela educação, o sonho de viver no país dos ursinhos polares e, especialmente, o desejo muito forte de alargar meus horizontes. 

Esta foto que encontrei na net representa bem a imagem que guardo do momento de tirar o retrato.